• A voz do inconsciente é sutil, mas ela não descansa até ser ouvida

    Sigmund Freud
  • Acordar para quem você é, requer desapego de quem você imagina ser

    Allan Whatts
  • O pensamento é ensaio da ação

    Sigmund Freud
  • A inteligência é o único meio que possuímos para dominar os nossos estintos

    Sigmund Freud
  • A angustia não se resolve, se dissolve nas palavras.

    Jacques Lacan
  • Pensar é o trabalho mais difícil que existe. Talvez por isso tão poucos se dediquem a ele.

    Henry Ford
  • A maneira de ajudar os outros é provar-lhes que eles são capazes de pensar.

    Dom Hélder Câmara
  • Todo amor é recíproco, mesmo quando não é correspondido.

    Jacques Lacan
  • Penso onde não sou, portanto, sou onde não penso.

    Jacques Lacan
  • Se as coisas vão mal fora de você, é porque tem á alguma coisa errada dentro de você mesmo.

    Henry Ford
  • Nós poderíamos ser muito melhores se não quiséssemos ser tão bons.

    Sigmund Freud
  • Amar é dar o que não se tem a alguém que não o quer.

    Jacques Lacan

Biblioteca > História da Psicanálise

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Sala com o divã de Freud
Psicanálise é um método de tratamento dos sintomas psíquicos através da investigação do inconsciente. Busca-se acessar os conteúdos do inconsciente através da “associação livre” termo criado por Sigmund Freud para designar a técnica de “falar livremente”.





Conceituação

A psicanálise surgiu na década de 1890, com Sigmund Freud, um médico interessado em achar um tratamento efetivo para pacientes com sintomas neuróticos ou histéricos. Conversando com os pacientes, Freud acreditava que seus problemas se originaram da inaceitação cultural, sendo assim reprimidos seus desejos inconscientes e suas fantasias de natureza sexual. Desde Freud, a psicanálise se desenvolveu de muitas maneiras e, atualmente, há diversas escolas.

O método básico da Psicanálise é a interpretação da transferência e da resistência com a análise da livre associação. O analisado, numa postura relaxada, é solicitado a dizer tudo o que lhe vem à mente. Sonhos, esperanças, desejos e fantasias são de interesse, como também as experiências vividas nos primeiros anos de vida em família. Geralmente, o analista simplesmente escuta, fazendo comentários somente quando no seu julgamento profissional visualiza uma crescente oportunidade para que o analisando torne consciente os conteúdos reprimidos que são supostos, a partir de suas associações. Escutando o analisado, o analista tenta manter uma atitude empática de neutralidade. Uma postura de não-julgamento, visando a criar um ambiente seguro.

A psicanálise acredita que só é possível acessar os conteúdos do inconsciente através de suas formações, ou seja, atos falhos, sonhos, chistes e sintomas

Correntes, dissensões e críticas

Diversas dissidências da matriz freudiana foram sendo verificadas ao longo do século XX, tendo a psicanálise encontrado seu apogeu nos anos 50 e 60. Entre as principais dissensões, destacam-se as de C. G. Jung e Alfred Adler, que participavam da expansão da psicanálise no começo do século XX. C. G. Jung, inclusive, foi o primeiro presidente do Instituto Internacional de Psicanálise (IPA), antes de sua renúncia ao cargo e a seguidor das idéias de Freud. Outras dissidências importantes foram Otto Rank, Erich Fromm. No entanto, a partir da teoria psicanalítica de Freud, fundou-se uma tradição de pesquisas envolvendo a psicoterapia, o inconsciente e o desenvolvimento da práxis clínica, com uma abordagem puramente psicológica.

Desenvolvimentos como a psicoterapia humanista/existencial, psicoterapia reichiana, dentre diversas e tantas terapias existentes, foram, sem dúvida, influenciadas pela tradição psicanalítica, embora tenham conferido uma visão particular para os conteúdos da psicologia clínica.

O método de interpretar os pacientes e buscar a cura de enfermidades físicas e mentais através de um diálogo sistemático/metodológico com os pacientes foi uma inovação trazida por Freud. Até então, os avanços na área da psicoterapia eram obsoletas e tinham um apelo pela sugestão ou pela terapia com banhos, sangrias e outros métodos antigos no combate às doenças mentais.

Sua contribuição para a Medicina, Psicologia, e outras áreas do conhecimento humano (arte, literatura, Sociologia, Antropologia, etc.) é inegável. O verdadeiro choque moral provocado pelas idéias de Freud serviu para que a humanidade rompesse seus tabus e preconceitos na compreensão da sexualidade, e atingisse um maior grau de refinamento e profundidade na busca das verdades psicológicas que ainda estão em expansão.



Voltar

Fale Comigo